Nome:
Flavia Saad
Onde:
SP, Brazil

Altura:
1,70m
Antes (março/2004):
104 kg
Depois (05/agosto/2005):
72,0 kg
Ou seja:
32 kg
Meta provisória:
69 kg


Recompensa:
quando eu ultrapassar a barreira dos 70 kg, vou me dar de presente o novo cd do Oasis, Don´t believe the truth.



Hungry Girl
Revista Dieta Já
Really Useful Fitness Blog
Put down the donut
Revista Shape

Blogosfera Light
Ana Xereta
Dani
Mandi
Gabi
Evinha
Miss Miojo



Meu Caderno
gastronomia e cultura

Blog da Jaci

Lush
meus sabonetes favoritos

Rádio VH1

Go fug yourself
as celebridades também erram

Internet Movie Database
informações e notícias sobre cinema

Casa da Cris
decoração e casa bela

Delas - IG

10 X 10
100 imagens e fotos que definem a história (muito bacana!)



Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005






Take the MIT Weblog Survey




Powered by



Repita comigo: ... ooooommmmm ... 30.5.05
Ainda sobre o assunto anorexia/bulimia, há uma pesquisa muito interessante publicada na Psychology of Women Quarterly, relatando que a yoga pode aumentar a auto-estima das mulheres e afastá-las do perigo das disfunções alimentares.



Eu sou uma pessoa bastante cética, quem me conhece pode confirmar. Mas, particularmente, acredito nessa modalidade de trabalho mente/corpo. Já fiz aulas de ashtanga yoga e, na época, me sentia muito bem comigo mesma. Só lembrando, naqueles tempos, eu pesava uns 90 kg... E nunca senti dificuldade de fazer as posturas. Pelo contrário, a cada aula, elas se tornavam mais fáceis. Por isso, a yoga é um exercício que eu recomendo para qualquer pessoa.

Hoje, não faço mais aulas, mas sempre que sinto vontade e tenho tempo, faço algumas posturas em casa. Você só precisa de um tapetinho e algum guia para fazer yoga. Existem alguns livros que indicam séries e posturas, mas eu uso este aqui: O Livro de Yoga e Saúde para a Mulher - Um Manual de Bem-estar para a Vida Inteira.

Para quem é sedentária, é uma ótima atividade para começar. Para quem já malha, é um ótimo alongamento e trabalha bastante a força muscular. Isso sem contar a sensação deliciosa de bem-estar depois de uma série...




Pé na jaca e você: tudo a ver!
Depois de um não tão longo e nem tão tenebroso inverno, eu voltei.

Acho que dei uma mini-abandonada no blog nesse feriado prolongado. Nada de stress, claro, porque pelo o que eu soube, rolou uma deserção geral no mundo blogosférico light. E isso é bom! Porque a gente não consegue ficar de dieta o tempo todo, né? Somos apenas humanas.

Eu, por exemplo, fiz coisas das quais não me orgulho, obviamente. Mas também, não posso morrer de vergonha, porque eu passo muito tempo andando retinho na linha, sem tirar o foco do meu objetivo. Então, se eu for me punir por cada vez que eu tenho deslizes, minha vida vai virar uma merda, tanto na dieta como na vida pessoal. Ou será que só meu namorado é que não gosta de mulher mau-humorada??? Acho que não.

Pois é, já que este blog é também um confessionário, vou contar meus pecados:
- Eu e minha mãe comemos os muffins e croquetes sozinhas! Tudo bem que eles eram light e poucos, mas mesmo assim, isso não é lá atitude de quem está de dieta...
- Comi um hamburgão com batatas fritas (não aguentei todas, confesso, mas que comi, comi) na quinta-feira depois do cinema. Era de carne com mussarela de búfala e tomate seco, ou seja, podia ser pior. Mas foi a melhor pisada na jaca do fim de semana!!!
- No sábado, a pisada foi mais por falta do que por excesso: jantei pipoca de cinema. Me desculpem, mas o Darth Vader estava lá com seu sabre de luz e me fez fazer isso!
- Ontem, fui almoçar num restaurante novo com minha mãe e, depois de mais de uma hora de espera por um prato de massa com abobrinha e camarão, a porção era tão pequena, mas tão pequena, que eu cheguei em casa e comi um kibe e uma pêra. Ou seja, almocei duas vezes.
- No jantar, comi uma coisa que eu nunca mais tinha nem visto a cara: mortadela. Com pão de cará. Eu sei, péssimo... E de sobremesa, bolo de aniversário.

Mas nem tudo são jacas na minha vida. Fiz um montão de atividades físicas no fim de semana, como por exemplo, ir andar de bike no Guarujá com o namorado. No sábado, fizemos 25 km e no domingo, 32 km! Acho que, lembrando disso, não me sinto tão mal.

Então, agora que tudo foi confessado, é hora de seguir em frente. (por algum motivo, essa frase está se tornando recorrente neste blog...)




Perigo! Flavia na cozinha! 26.5.05
Aproveitei que não tive aula na faculdade ontem para fazer uma coisa que eu adoro, mas à qual não me dedico tanto quanto gostaria: aprontar na cozinha. Tudo bem light, é claro.



Esse é o meu croquete de cebola e ricota, que estava mais gostoso do que ele aparenta na foto. Ele está meio anêmico, não acham?



E estes são meus lindos e vitaminados muffins de banana e mamão papaia.

(clique nos links para ver a receita de cada um deles)




O lado negro da força 25.5.05
Na lista de e-mails da Blogosfera Light, o último assunto causou muita agitação entre as meninas. Uma delas nos pediu ajuda para uma outra blogueira que está presa na armadilha da anorexia.

Eu, pessoalmente, não acho que devo e nem tenho como ajudar alguém que vê a doença como se fosse sua melhor amiga. Nós, que apenas buscamos uma vida saudável, não temos instrumentos para convencê-la do contrário.

Sim, todas nós temos que ser muito fortes para não ultrapassar a linha tênue que existe entre a "compulsão saudável" em querer emagrecer e sempre se superar ou agredir o próprio corpo para alcançar objetivos que, às vezes, são coisas da nossa cabeça.



Confesso que, algumas vezes, me senti nobre ao deixar de comer certas coisas e fazer alguns sacrifícios. E essa deve ser a sensação de uma pessoa anoréxica: um orgulho da auto-punição que está mascarada como doença. Hoje, me sinto feliz por nunca ter deixado esse sentimento de superioridade me dominar.

Lendo sobre o assunto, descobri um estudo da Universidade de Stanford (Califórnia) que concluiu que 40% das adolescentes com disfunções alimentares visitam sites pró-ana e pró-mia. Em compensação, apenas 34% visitam sites que dão dicas de como superar essas patologias. Isso não é assustador?

"Com assustadora indiferença, (as adolescentes) descrevem (nos sites) suas obsessões diárias por compulsões e purgação, pela fome e privação. Mas é duro ser indiferente quando uma enfermeira tenta enfiar uma agulha nos seus braços desidratados - e você grita de dor (...). É duro ser feliz quando todos os pensamentos da sua existência são cheios de paranóia e obsessão. É difícil ver como qualquer coisa possa ser "pró" disfunção alimentar." (traduzido livremente do site Diet Blog)




A bruxa de Blair (ou a balança do mal) 24.5.05
Vou me pesar amanhã no médico...



Meu lema Ai, que fome foi temporariamente substituído por Ai, que medo!!! (com direito a três exclamações mesmo)




Eu sobrevivi! 23.5.05
... ao fim de semana!

Depois de uma semana ótima, enfiei o pé na jaca bonito nos últimos três dias.

Na sexta, me comportei bem demais. Tomei sopa de legumes e tudo. Mas no sábado, começou a lambança... Almocei num rodízio em Sampa, mas até que não comi muito porque ele era meio ruim. Nem tinha picanha! Acho que ir à restaurantes ruins é uma boa tática de dieta.

Ainda no sábado, jantei no Tsunami (ótimo nome para um restaurante japonês!). O que me pegou não foi a onda gigante, e sim a sobremesa: harumaki de banana. Ave Maria!

No domingo, comi parrillada no restaurante argentino (sim, foi um fim de semana internacional), mas com acompanhamento de legumes grelhados e algumas batatinhas fritas. Se eu contar, ninguém acredita, mas fazia meses que eu não comia isso. Mal consegui engolir 5 palitinhos!

E à noite, pra completar, fui à casa de um amigo meu e do meu irmão, o André. Ele, que é formado em gastronomia, fez uma degustação de vinhos (maravilhosos, por sinal) que ele trouxe do Sul, acompanhados de queijo coalho grelhado e quiches. É melhor pensar nos antioxidantes do vinho do que nas suas calorias, certo??? (por favor, me apóiem nesse momento delicado)

O que me traz de volta a mais uma segunda-feira, dia internacional da dieta. Vou pedir perdão e seguir em frente.




Meu amigo de fé, meu irmão camarada 20.5.05
Para quem não sabe, meu irmão caçula é atleta profissional. Admiro muito sua disciplina, sua perseverança e seus 10% de gordura corporal (filho da mãe!).

Mas nem sempre foi assim. Confesso que, quando nós éramos mais novos, eu invejava seu preparo físico de maneira negativa. O que é totalmente compreensível, certo? Tente explicar para uma garota de 13 anos de idade que a genética não privilegia dois irmãos com o mesmo dom simultaneamente... Acho que agora já me conformei que eu não preciso ser atleta para ter bom condicionamento físico. Me contento com ser "esportista"...

Hoje, eu me inspiro muito no Felipe, porque ele tem a sorte de viver para jogar futebol e sempre dá o máximo de si nos treinos e jogos. Nestes dias de luta contra a balança, pensar no esforço que ele faz e na sua própria força de vontade para sempre se superar é uma das coisas que me faz continuar. Sem contar que ele, por morar longe de mim, sempre repara quando emagreci. Essa é uma motivação e tanto!

E é por isso que, a partir de ontem, quinta-feira, eu passei a adotar um esquema em solidariedade e homenagem a ele, meu irmão. Quando o time dele (o Vitória da Bahia) está se preparando para um jogo importante, eles treinam em dois turnos. Ou seja, vou tentar fazer dois turnos de exercícios no mesmo dia, de 2 a 4 vezes por semana, dependendo da minha disponibilidade e do meu cansaço.

Se eu quero mesmo perder esses malditos 4 kg que não querem ir embora, vou ter que apelar! Vocês vão ver a Flavia xiita nas próximas semanas, aguardem...

Ontem: 1 hora e meia de circuito na academia (musculação/cardio) + 1 hora de bike na ciclovia
Hoje: 40 minutos de corrida na praia + 1 hora de bike na ciclovia




Alimente a modelo 19.5.05
Se você está de bobeira no computador, tente jogar "Feed the Model" neste site aqui.

Pelo menos, a comida vai toda para a modelo, e não para você. Adorei!



E depois de jogar (quando a modelo estiver bem gordinha!), se você manja inglês, leia também as colunas sobre auto-estima e auto-aceitação. Esse site é excelente, eu recomendo!




Não deixe o cadastro assustar você... 18.5.05
... e leia minha matéria no site da revista Dieta Já.

É preciso assinar a newsletter da revista para ver a reportagem. Um saco, eu sei. Mas em compensação, é "de grátis".

Vou ver se consigo amanhã fazer um html disso e colocar disponível por aqui.

Muito além da mesa de cirurgia
O aconselhamento psicológico é essencial para o sucesso do emagrecimento após a operação de redução de estômago. Entenda por quê.




McGordinha Feliz
Algumas coisas me deixam possessa... Como, por exemplo, esta cena que eu presenciei hoje: uma mãe comprando uma batata média do McDonald´s para uma menina que parecia ter uns 5 ou 6 anos, às 10 horas da manhã.

Cada um sabe da sua vida, é claro. Mas dá vontade de parar essa moça na rua e dizer "Olha, esse lanchinho cheio de gordura vai tornar sua filha uma adolescente obesa". Ou então para a menina "Você vai pagar caro em abdominais para se livrar dessas batatinhas mais tarde".

Uma outra vez, vi uma demonstração incontestável de didática materna: uma criança, que estava chorando, cala-se imediatamente quando mamãe compra um pastel de queijo bem gorduroso.

Às vezes, imagino como me comportaria perante a alimentação dos meus filhos, se já os tivesse. Será que eu teria pulso firme para dizer "não" a essas comidas altamente gordurosas e calóricas? Na verdade, eu gostaria mesmo é de ser um bom exemplo. Quer dizer, não comprar e nem consumir essas porcarias em excesso deve ser a melhor tática para não passar esse péssimo hábito para os filhos.

E eu também não acredito quando as mães dão a velha desculpa: "Mas ele/ela não come fruta, não gosta de legumes nem salada, não toma suco". Ora, tem uma moça que eu conheço cuja filha de 2 anos adora todas essas coisas e mais feijão, arroz, carne e etc, além de tomar bastante água. Essa menina, então, é anormal? Acho que não. Continuo acreditando no bom exemplo dos pais para que a criança saiba, sozinha, distinguir entre o que é bom para sua saúde e o que deve ser consumido com moderação.




Só as cachorras...
Meu namorado é que me chama assim agora.

Então ele vai ter que se virar pra me comprar esta camiseta aqui ó:





Minha voz não mudou, mas meus cabelos... 17.5.05
Eu lembro quando fui assistir o filme "Garotas Malvadas", no ano passado, de ter achado a atriz principal linda demais. Acho que nessa época, a Lindsay Lohan tinha 16 ou 17 anos, um corpo (mais do que) bacana e um monte de jovens como eu morrendo de inveja dela...

Olha só o que aconteceu com a moça:



Fiquei estarrecida com essas fotos. Afinal, ela era já magra e linda. Agora está simplesmente pele, osso e uma cabeça muito, muito grande. Se eu encontrasse ela na rua, daria uns 5 reais para a coitada comprar um sanduíche. E os peitos dela, onde estão?

Neste slideshow do MSN dá pra ver as transformações de outras celebridades de Hollywood que eram perfeitamente lindas antes, mas agora são um bando de cabeçudas desproporcionais.

Tudo isso só serve para nos lembrar que emagrecimento, estética e saúde devem caminhar juntos, mas o perigo aparece quando sua cabeça ocupa mais lugar numa foto do que o resto de você.




Mais uma 16.5.05
Saiu outra matéria que eu fiz para a revista Dieta Já, na edição deste mês de maio (capa: Eliane Giardini). O site ainda não foi atualizado, por isso não posso colocar o link. Mas assim que eles tiverem a minha matéria online, prometo que mostro aqui.

A reportagem é sobre as consequências psicológicas que podem aparecer depois da cirurgia de estômago. Esta foi provavelmente a mais difícil das matérias que eu já fiz. É um assunto bem delicado para mim, pois vai contra os meus princípios, já que não acredito na cirurgia como uma opção para perder peso. Mas foi um ótimo treino, jornalista é assim mesmo: tem que escrever sobre tudo, inclusive aquilo que não gosta.




Já sei quem é o grande "perdedor"
Só pode ser o ilustríssimo apresentador desse programa...

A prova definitiva de que o Sílvio Santos está gagá: todos os participantes têm os respectivos nomes estampados em letras garrafais nas camisetas que usam durante "O Grande Perdedor" e mesmo assim, ele consegue errar o nome deles ao vivo.




Dieta, mídia, ciência e política em discussão 14.5.05
Um post muito interessante de Marcelo Leite, jornalista de ciência da Folha de São Paulo, fala sobre a "Guerra da comida".

Agora estão tentando convencê-lo de que faz bem para a saúde ser gordinho (mas não obeso). Depois de anos de propaganda dizendo que era ruim ultrapassar o índice de massa corporal de 25. (...) A suposta nova descoberta na praça diz que sobrepeso não está diretamente correlacionado com aumento do risco de mortalidade. Foi o suficiente para a indústria de alimentos dos EUA se assanhar. Anúncios foram publicados pelo Centro pela Liberdade de Consumo que ela subvenciona, denunciando como farsa a "dita epidemia de obesidade". Tudo não passaria de mais uma incursão indevida do governo na vida privada.

O interessante é notar que a obesidade virou uma questão política e corporativa. Ou vocês acham que empresas como a Nestlé ou o McDonald´s querem que os consumidores parem de comprar seus produtos por eles não serem saudáveis? Me impressiona muito que a guerra da (e contra a) comida seja não só pessoal, minha e sua, mas da sociedade pós-moderna como um todo.




Super Flavia contra o coffee break do inferno 13.5.05
Quando a gente emagrece ou passa por algum outro tipo de mudança drástica na vida, surgem certas situações que antes eram completamente desconhecidas da nossa rotina.

Hoje, fui dar uma palestra em um evento e, depois que terminei, a organização ofereceu um coffee break. Eu já tinha planejado uma estratégia de fuga: vou sair daqui rápido, dizendo que tenho um compromisso, escapo da comilança e ainda tenho um tempinho para correr na praia. Mas deu tudo errado...

Nesse tipo de compromisso social, ficava muito chato eu recusar o coffee break, mas lá fui eu, dessa vez, com a nova estratégia: tomar apenas um cafezinho escuro com adoçante (sempre tomei sem nada, mas ultimamente estou gostando do adoçante porque mata a vontade de comer doce).

Cheguei na mesa da comida e realmente não estava com fome. Afinal, tinha tomado um café razoável duas horas antes. O meu café preto não estava lá, a opção era só refrigerante (pelo menos era light) , salgadinhos (assados, mas mesmo assim gordurosos) e uns doces MARAVILHOSOS (trufas, camafeus, etc e tal). Só que, para minha total surpresa, eu não queria nada mesmo.

Isso ainda é uma novidade para mim, não atacar uma mesa dessa pelo simples fato de não estar com vontade. A velha Flavia iria pegar tudo aquilo "para experimentar", mesmo às 10 horas da manhã e sem a mínima fome. Mas a nova Flavia resistiu bravamente, tomando apenas um copo de guaraná light.

Pois é, mas a sociedade não entende tais atos. Vai saber... As pessoas que me convidaram para o evento se disseram ofendidas por eu não estar comendo. E eu, pensando agora, acho que não fui enfática o suficiente para recusar o que não queria. Tive que provar um salgadinho e um doce, nada muito dramático, mas mesmo assim, não passei bem o resto da manhã. Acho que meu estômago não está mais acostumado a essas comilanças fora de hora.

Hoje eu aprendi que tem coisas que a gente não pode recusar. Mas a surpresa boa vem quando nossos antigos hábitos destrutivos, com os quais lutamos tanto por tantos meses ou anos, um belo dia resolvem ir embora, sem nem dizer adeus. E, para falar a verdade, eu nem sinto a falta deles...




Eu sou normal. Ou não? 12.5.05
AAAHHHH!!!

Pára tudo.

Nem eu acreditei quando ouvi: estou com exatos 23,68% de gordura corporal. Isso quer dizer que eu, Flavia, não estou mais no sobrepeso (acima de 25%).

Vou pagar um sorvete de uva para a Aninha, cujo chute chegou muito perto do meu % de gordura, ela errou por apenas 0,02%!

Quando comecei a emagrecer, tinha 35% de gordura, ou seja, era obesa grau I. Tenho até vergonha de lembrar como eu era nessa época. Eu realmente parecia um barrilzinho! Minha barriga era uma coisa só, posso jurar que ela tinha até vida própria, sem um teco de cintura pra contar história.

E agora finalmente eu me sinto uma pessoa (quase) normal.

Só para comparar:
ANTES: 104 kg, 35% de gordura corporal e manequim 46/48.
(1,70 m, um ano e dois meses depois)
DEPOIS: 73 kg, 23,6% de gordura corporal e manequim 40/42.




Alguém ouviu as nossas preces! 11.5.05
Eu sempre falo que, depois do meu namorado, a coisa que eu mais amo na vida é comer. Em terceiro lugar, mas seguindo bem de perto, vem arte.

Imaginem, então, o troço que eu tive quando descobri esta artista americana que baseia seus quadros em... comida??? Ela se chama Janice Taylor e também mudou de vida: após perder 23 quilos, passou a canalizar a inspiração para suas obras de arte.

Suas personagens são chamadas "Our Lady of Weightloss", ou seja, Nossa Senhora da Perda de Peso. Elas são simplesmente maravilhosas, é obrigatório visitar o site para conhecê-la.


(olha que linda essa Nossa Senhora da Gelatina Diet!!!)

A Janice envia todas as segundas-feiras (dia internacional do início da dieta!) uma newsletter chamada "Kick in the Tush", algo como "Chute no traseiro". Ela tem sempre um tema, um alimento em especial que aparece em dicas, receitas e na imagem da santa. Vale muito a pena assinar, porque ela também oferece prêmios para quem responde a pergunta da semana. Até eu já ganhei um cartão postal uma vez, ela mandou pra mim aqui no Brasil. Ele está lá na porta da geladeira, firme e forte para me ajudar quando eu ameaço um surto de comilança.

Se tudo isso ainda não te convenceu a visitar o site, talvez isso seja o chute no traseiro que você está precisando:
"Our Lady of Weight Loss is dedicated to those who are drawn to The Art of Weight Loss. Our Lady encourages all to lighten up in every way. Have fun, laugh at yourself, enjoy a healthful lifestyle, and redirect those 'feeding' energies into something creative and more fulfilling than any bowl of ice cream could ever be."




Chega pra lá no plateau
Eu posso não estar me alimentando de luz, mas é quase isso...

Como eu já contei, minha estratégia alimentar mudou. Normalmente, minha janta diária era um sanduíche de pão integral Nutrella, com requeijão light/queijo branco, bastante alface americana e duas fatias de peito de peru/blanquet. Mas eu, além de enjoar, senti que precisava dar um gás nesses últimos dois meses antes da minha cirurgia.

Por isso, passei a tomar o sopão de legumes dos Vigilantes todos os dias após a faculdade, apesar da minha conhecida aversão à sopas, cremes e afins. Para minha surpresa, não estou sentindo tanta fome assim. Mas, para não ficar sem a minha cota de carboidratos, principalmente em dias em que meu treino é pesado, passei as duas fatias de pão integral para a manhã e para o lanche da tarde.

Tudo isso, junto com os treinos fortes que eu tenho feito na praia (menos tempo total, mais tempo correndo) e hoje eu consegui FINALMENTE sair do plateau que me segurou por mais de dois meses!!!

E no dia 11 de maio, exatamente dois meses e um dia antes da operação, eu estou com -31 kg no total.

Amanhã tenho que me preparar também para uma grande notícia. Meu treinador vai tirar minha porcentagem de gordura e, da última vez, eu já estava com 25,8%, ou seja, quase saindo da taxa de sobrepeso. Espero que agora, depois de 4 meses, eu esteja definitivamente com menos de 25%.

Cadê minha torcida organizada???




O Iluminado 10.5.05
Essa é ótima...

Um químico alemão, chamado Michael Werner, falou que não ingere qualquer tipo de comida sólida há 3 anos, pois ele (preparem-se!) se alimenta de luz.

Apesar de sua dieta consistir em três porções diárias de líquidos (chá, suco, água ou café) e a luz natural propriamente dita, ele diz que ganhou peso com os novos hábitos. A comunidade científica de seu país, no entanto, acha que é muito pouco provável que a declaração dele seja verdadeira.

Eu tinha uma professora de violão que sempre dizia isso: "Fulana é muito magra, se alimenta de luz" e eu nunca acreditei. Por isso, achei tão irônico quando li esta notícia.




Reality drama 9.5.05
Não dá pra passar em branco e não comentar o capítulo de ontem de "O grande perdedor".

Achei o programa bacana, as pessoas escolhidas são bem diferentes entre si e me parecem estar dispostas a fazer de tudo, não só pelo prêmio, mas para melhorar a própria saúde. Até aí, tudo bem. Mas o que é o Sílvio Santos??? Já falei o que penso dele anteriormente, mas não custa repetir. Sua insensibilidade, sua voz irritante, sua peruca (péssima!) e o fato de ele achar que esse programa é o "Topa tudo por dinheiro" estão tirando muitos pontos desse reality show. Tudo bem que ele é o chefe e a saída dele da apresentação é tão provável quanto as moças do time vermelho pararem de chorar, mas o programa perde demais com SS e isso com certeza vai se refletir nos números da audiência.

Hoje, a Adriane Galisteu fez uma visita-surpresa à casa. Não assisti, mas achei curioso pois ontem mesmo comentei com meu namorado que ela seria a apresentadora ideal para essa atração.

Em resumo, cada um dos times tem agora um membro no chamado "bandejão": Carol, para os vermelhos e, para os azuis, Cristina. Não me admira que uma mulher seja a primeira a ir embora da casa, nunca foi novidade que os homens perdem peso mais rápido do que as mulheres. Também não preciso de bola de cristal para saber que um macho vai ser o vencedor, mas admito que adoraria ver uma das meninas ganhando esse prêmio.



Quem será que sai essa semana? Quer arriscar um palpite? Deixe um recado nos comentários...




Unanimidade
Assisti várias palestras no evento de sábado: de nutricionistas, professores de educação física, nutrólogos, fisioterapeutas... Todos eles foram ótimos e fizeram apresentações bacanas, cada qual em sua área.

Mas achei muito interessante que o consenso geral entre eles tenha sido que, sem atividade física, ninguém consegue emagrecer ou manter um nível razoável de qualidade de vida.

Quando alguém me fala que emagreceu tantos quilos, mas não pratica atividade física alguma, eu sempre desconfio... Porque, mesmo magra, a pessoa sedentária tem outros problemas de saúde que ficam "escondidos" e provavalmente poderiam ser evitados com a velha receita 60 minutos/3 vezes por semana.

Por isso é que, desde que eu comecei esta cruzada contra a minha obesidade (e por que não a dos outros também?), eu sou a maior advogada do exercício físico. Costumo brincar e dizer: "Tem coisas... Que só a ginástica faz por você", mas isso é seríssimo. Hoje eu sei que é impossível querer emagrecer sem suar a camisa (ou o top).





Amanhã tem novidade por aqui... 6.5.05
Cheguei da faculdade e fui direto desfrutar o meu sopão de legumes do Vigilantes. Foi duro resistir ao macarrão integral com salsicha que estava na geladeira para o almoço de amanhã! Eu AMO massas...

Mas se eu quero que a minha tática dê certo para emagrecer mais 5 kg até o dia 12 de junho, terei que manter a promessa: à noite, sopa. E só.

Amanhã, vou a um seminário na Associação dos Médicos, chamado Nutrologia X Atividade Física e Qualidade de Vida. Espero descobrir várias novidades para colocar aqui ou para sugerir como pauta para a revista.




Para aprender a ficar longe do sorvete!!!
Homem encontra dedo em sobremesa nos EUA

Um homem que pediu um sorvete de chocolate em uma confeitaria americana da cidade de Wilmington, na Carolina do Norte, encontrou uma surpresa nada agradável dentro de seu doce: o pedaço de um dedo.

Leia a notícia completa aqui.




Rápido e rasteiro
Um dado alarmante:
15% das crianças brasileiras estão obesas e suas chances de se tornarem adultos de peso normal são de 20%.

(Fonte: Associação Brasileira para Estudo da Obesidade - ABESO)




Shake your ass!
Como algumas pessoas já sabem, um dos motivos para que eu tenha mandado embora 30 kg no último ano foi ter tornado sagrada a minha corridinha na praia.

É claro que eu comecei devagar, andando, e depois aos poucos fui trotando por 1 minuto ou 2, e agora, finalmente, eu faço de 30 a 40 minutos direto. Estou treinando para melhorar a resistência, mas o que ainda me atrapalha muito são os meus seios, que estão pesados demais para mim agora (por enquanto!).

Eu tenho que fazer um agradecimento especial, pois sem ele eu não suportaria as corridas diárias: ao meu MP3 player, que me acompanha o tempo todo, seja na esteira ou no calçadão da praia, sem nunca me abandonar (a não ser quando a pilha acaba!).

Para manter a motivação, comecei a colecionar músicas boas para corrida e malhação, pois elas são uma parte importante do gás que você pode dar na hora em que você queria mais era estar comendo um sonho na padaria...

Aqui estão algumas das músicas que eu acho ideais para essa finalidade:

- Let´s get loud / Get right / Waiting for tonight - Jennifer Lopez
- Smack my bitch up - Prodigy
- Work it - Missy Elliott
- Where´s your head at /Remedy - Basement Jaxx
- You´re so damn hot - Ok Go (para os roqueiros de plantão)
- Hide you - Kosheen
- Toxic - Britney Spears
- Stop the rock - Appolo Four Forty
- Kung Fu Fighting (remix)- ATB
- Bawitaba - Kid Rock
- She wants to move - N.E.R.D.
- Hey girl, hey boy - Chemical Brothers
- The new workout plan - Kanye West (pra quem gosta de rap)
- I see you baby - Groove Armada
- Fighter - Christina Aguillera (essa é para aquela última arrancada, quando você acha que está quase para desistir).

Se alguém tiver alguma sugestão de música, pode deixar nos comentários. Estou sempre procurando novas adições para minha coleção.




Tem louco pra tudo... 5.5.05
Uma cidadã nos EUA, chamada Tricia Cunningham, emagreceu 77 kg com o que ela mesma denominou "the backwards diet", ou a dieta do contrário.

Basicamente, a rotina alimentar dela consistia em inverter a ordem das refeições: comer pela manhã o que se normalmente comeria no jantar e vice-versa. Ou seja: se a sua janta é uma sopa ou um grelhado com salada, é isso que você vai comer antes de ir para o trabalho. E se seu café da manhã é um leitinho com chocolate e um pedaço de queijo branco, reze para não morrer de fome lá pra hora da novela (porque a dieta não permite lanchinhos...).

Este blog mostra que, na lista de alimentos permitidos e proibidos pela invenção da moça, estão todos os tipos sugeridos por uma outra dieta da moda, a de South Beach (com muita proteína e poucos carboidratos).

O plano bizarro de "reeducação" alimentar fez Tricia passar dos 132 kg para 56 kg em 9 meses.




Smoothie de frutas vermelhas
Adoro vitaminas. Especialmente, quando chego da academia ou então no lanche da tarde, para dar "aquela" sustentada até a próxima refeição.

Essa semana, experimentei fazer a vitamina com a polpa de frutas vermelhas e acabou ficando bem parecido com os smoothies que eu tanto adoro no Wraps:

- 1 copo de 200 ml de água gelada
- 2 colheres de sopa de leite (opcional, mas eu preciso de todo o cálcio que eu puder ingerir!)
- 1/2 da polpa de frutas vermelhas congelada (50 g)
- 1 banana picada


Bata tudo no liquidificador e manda ver!!!




Qual é o segredo???
Comprei o livro Mulheres francesas não engordam (Ed. Campus) ontem na Saraiva (para quem estiver interessado: foi o melhor preço que encontrei, inclusive na própria editora) e aguardo ansiosamente a encomenda.

Estou curiosíssima para saber o que diz esse livro. Dei uma olhada nele na livraria e vi que ele traz muitas receitas e alguns segredinhos.

Assim que eu desvendar o porquê de as mulheres francesas não engordarem, trago as novidades aqui.




Medidas drásticas 3.5.05
Uma ótima reportagem na Folha de São Paulo do último domingo traz uma triste realidade: até mesmo crianças agora estão recorrendo à cirurgia de redução de estômago para emagrecer.

Segundo a matéria, estas crianças só são submetidas à operação após terem "tentado de tudo". O médico por trás dessa declaração que me desculpe, mas aos 11 anos de idade, o que é "tudo"? Essa é a chamada fase de crescimento, não me parece certo fazer uma alteração tão permanente, quando o corpo do indivíduo ainda está em formação.

Eu, pessoalmente, sou contra a cirurgia em adultos também, mas sei que é um caminho válido e igualmente duro a ser percorrido. Quando o objetivo é emagrecer, as provações e dificuldades são imensas, para quem opera ou não. Só que imaginar essas mudanças radicais em uma época emocionalmente confusa, como a adolescência, parece ainda mais difícil para mim.




Eu não sou cachorro, não... 2.5.05
Nem o coitado do cachorro escapou da pressão para ter um corpo esbelto!



Este cão escocês, chamado Zollie, vai entrar numa dieta "holística", baseada em ervas, ração seca e remédios homeopáticos porque sua criadora acha que ele está muito pesado. Ele tem 140 kg.

Veja mais no site da BBC UK.




Sutil... como uma pata de (vários) elefante(s)
"O grande perdedor" foi ao ar pela primeira vez ontem, às 20:30 no SBT.

Basicamente, a estréia foi uma apresentação um pouco tediosa dos competidores. Cada um deles foi mostrado em uma montagem: o que gosta de comer, por que quer emagrecer, as dificuldades da vida de gordo, etc.

Vou falar uma coisa sobre aquelas mulheres: aparecer em rede nacional, acima do peso e de biquini, é coisa pra macho. Pra mim, já podiam ganhar um prêmio de 10 mil reais só por isso... Mesmo assim, a maior parte dos participantes me pareceu levar uma vida feliz, apesar da gordura. Várias das gordinhas têm namorado ou marido.

Mas as pérolas da atração ficam por conta do apresentador, o velhaco Silvio Santos. Na minha opinião, as perguntas que ele fez em relação ao peso e a vida dos candidatos foram muito mais humilhantes do que o momento da pesagem. Algumas inacreditáveis observações:

- "Seu marido também é gordo? E vocês dormem juntos em uma cama normal, sem reforço?? Não quebra?"
- "Por que você usa tanto batom nos lábios? É para distrair as pessoas da sua gordura?"
- "Você mora com seu noivo? Não? E você faz sexo com ele??? (em tom de surpresa)" [como se os gordos não tivessem direito nem mesmo a fazer sexo!!!]

Isso entre várias outras gafes ao longo do programa...

Já vi que "O Grande Perdedor" vai ser um assunto constante por aqui.